Um bom planejamento financeiro do condomínio está  nos detalhes. Quanto maior o levantamento de informações e conhecimento da rotina do condomínio, mais assertivo será seu planejamento.

Com algumas dicas para acertar no planejamento financeiro do condomínio, o processo se torna muito mais simples, funcional e transparente. Como resultado temos uma maior satisfação dos condôminos, valorização patrimonial e social do condomínio.

Sistemas de gestão especializados como o SconV2 ajudam a organizar as finanças do seu condomínio

Sistemas de gestão especializados como o SconV2 ajudam a organizar as finanças do seu condomínio

Como acertar no planejamento financeiro do condomínio de forma simples?

Qualquer planejamento financeiro pede cuidado, muita calma e atenção. Todos os detalhes tem que ser considerados, desde a inadimplência até as frequências de manutenções corretivas. Veja abaixo alguns pontos importantes:

– O primeiro passo é analisar as contas do condomínio durante um período mínimo de um ano. Com esta análise podemos entender o comportamento financeiro do condomínio por vários ângulos e sazonalidades.

– É essencial considerar a inadimplência. Saber o comportamento da inadimplência no condomínio permite estimar a margem de recebimento mensal e o ajuste da taxa condominial para suprir esta eventualidade.

– Outro ponto chave é entender as manutenções, considerar o tempo de vida dos equipamentos e focar em manutenções preventivas. Também devemos considerar a troca de equipamentos com alta frequência de manutenções. Após estimar todos os cenários, estabelecer as provisões adequadas para arrecadação.

– Elencar todas as obrigações legais do condomínio. Seguros, alvarás, registros de documentos, taxas e tarifas diversas. Muitos desconsideram pequenas despesas em seu planejamento e ao longo do tempo elas acabam gerando um grande problema.

– A separação dos fundos é fundamental para o controle posterior. Saber exatamente para onde vai e onde pode ser utilizado cada recurso do condomínio é fundamental para manter a transparência e não gerar dúvidas.

– É importante sempre manter uma reserva para situações de emergência e que precisam de reparos imediatos. Quando houve utilização destes fundos, a administração deve dar ciência aos condôminos e deliberar sobre sua reposição.

– Como em qualquer local, é importante sempre calcular os gastos finais levando em conta o décimo terceiro de todos os funcionários que trabalham no local e também o aumento salarial anual.

– Por último, obras e reformas com um impacto financeiro maior merecem um planejamento a longo prazo. Tentar realizar taxas extras de grande valor pode causar aumento da inadimplência e também a recusa dos moradores às melhorias propostas.

Mantenha-se no curso!

É importante que você acompanhe de perto os resultados. Havendo divergências a administração deverá revisar e se necessário, fazer o replanejamento das finanças.

Mantenha-se organizado. Utilize sistemas de gestão especializados para condomínios como o SconV2, utilize planilhas de cálculo, organize as informações que levaram ao resultado deste planejamento. Assim, quando houver necessidade, será mais fácil analisar os dados e tomar o rumo certo.

E lembre-se, não é porque tem dinheiro nas contas que pode ser utilizado. Sempre antes de realizar suas despesas verifique seu planejamento financeiro e tente ficar nos limites estabelecidos por ele. E boa gestão!